Home
Entrar

Modelo iMOOC

English

Na Universidade Aberta (UAb.pt) valorizamos cada caminho inovador que permita aproximar ainda mais as pessoas à vida académica e integrá-la na dinâmica social. Num contexto de escassez generalizada de recursos e de necessidade acrescida de capacitação das populações, os cursos abertos massivos online (MOOC - Massive Open Online Courses), enquanto alargamento e aprofundamento dos ideais da educação aberta e do acesso generalizado ao conhecimento oferecem-nos, por isso, um enorme potencial para perseguir essa visão e essa missão.

Consciente desse facto e fiel à sua matriz inovadora, a UAb.pt decidiu associar-se a uma dúzia de outras instituições universitárias europeias de grande prestígio para lançar uma iniciativa conjunta neste domínio – a primeira iniciativa pan-europeia de MOOCs – liderada pela European Association of Distance Teaching Universities (EADTU) e com o apoio da Comissão Europeia (www.OpenupEd.eu). Todavia, a UAb.pt deu um passo adicional em relação aos seus parceiros e desenvolveu um modelo pedagógico específico para cursos abertos massivos online, tornando-se assim na primeira universidade no mundo a fazê-lo.

Os MOOCs oferecidos pela UAb.pt são desenhados com base nos quatro pilares do Modelo Pedagógico Virtual (MPV) da UAb.pt, a saber: aprendizagem centrada no estudante, flexibilidade, interacção e inclusão digital. Combinam a aprendizagem autónoma e auto-dirigida com uma forte dimensão social e articulam a flexibilidade essencial para os estudantes a distância com a estruturação necessária para ajudar na concretização do trabalho a realizar. Também alargam a oferta da aprendizagem ao maior número possível de pessoas num ambiente digital virtal, onde uma parte importante da vida moderna acontece, contribuindo, dessa forma, para a inclusão digital.

Ao desenharmos o nosso modelo inovador de MOOC, analisámos as diferentes experiências conhecidas no mundo em termos do seu desenvolvimento e implementação. Assim, escolhemos elementos de tipos já existentes de MOOCs, mas adicionámos também outros aspetos relevantes, decorrentes da nossa própria experiência na educação online e da sua integração no contexto mais alargado do modelo pedagógico virtual da UAb.pt, bem como do trabalho realizado na área dos recursos educacionais abertos e das práticas educacionais abertas. Os cursos massivos abertos online neste modelo pedagógico designam-se por iMOOCs, dado o seu especial enfoque na inovação, na interação, na inclusão, na responsabilidade individual e nas relações interpessoais.

Acesso e participação

  • Os cursos são abertos a quem queira participar.
  • O registo é requerido para se poder publicar nos espaços institucionais, mas qualquer pessoa pode aceder a todos os conteúdos do curso.
  • A aprendizagem é centrada no estudante e baseada na realização de actividades.
  • A aprendizagem deve ser evidenciada através da criação de artefactos (textos, vídeos, apresentações, mapas mentais, etc.), de acesso online livre, que demonstrem os conhecimentos e competências dos participantes relativamente aos assuntos em estudo.
  • O processo de aprendizagem combina o autoestudo e a reflexão com a interação com os outros participantes num contexto social aberto. Espera-se que os participantes assumam um papel ativo e sejam responsáveis pela sua aprendizagem, mas também que se empenhem ativamente na construção de uma comunidade de aprendizagem com os outros.
  • O apoio à aprendizagem assenta na comunidade de participantes, através da colaboração, do diálogo, do feedback entre pares e do envolvimento ativo no processo de aprendizagem.
  • A avaliação formativa pode assumir a forma de testes com autocorreção e também de feedback entre pares relativamente aos artefactos produzidos ao longo das atividades de aprendizagem.

Organização

  • Os cursos iniciam-se com a ambientação, que pode ter a duração de uma ou duas semanas, destinada à familiarização dos participantes com os espaços, ferramentas e serviços a usar no curso, bem como com os processos de trabalho e de comunicação que serão utilizados.
  • Embora os cursos tenham uma localização centralizada (num sítio web, wiki, blog, LMS, etc.), onde toda a informação relevante é disponibilizada (programa, recursos, calendarização, orientações de trabalho, etc.), o trabalho dos participantes é feito em rede, usando estes os seus ambientes pessoais de aprendizagem (PLEs) para gerir a sua aprendizagem, publicar os seus artefactos e envolver-se no diálogo e colaboração com os outros participantes.
  • Os cursos iMOOC da UAb.pt podem dispor de uma pequena equipa de colaboradores para apoiar a implementação do curso – reunir informação relevante no sentido de monitorizar e aperfeiçoar o processo, servir como facilitadores da comunidade, monitorizar redes sociais, fornecer sumários semanais, etc.

Recursos

  • Os recursos disponibilizados como ponto de partida para a realização das atividades estão protegidos por uma licença aberta ou encontram-se livremente acessíveis na Internet.

Certificado de completação do curso

  • Pode existir avaliação sumativa no caso dos participantes que desejem obter um certificado de completação do curso (que não fornece, porém, qualquer creditação formal). Neste caso, pelo menos dois dos artefactos produzidos como evidências de aprendizagem serão avaliados e classificados através de um processo de avaliação entre pares – aqueles que queiram participar neste processo avaliarão os artefactos produzidos por três dos outros participantes e terão os seus artefactos avaliados por três dos outros participantes. A nota final será a média das três classificações obtidas. Podem também usar-se eportfólios para efeitos de classificação nos casos em que se considere adequado. Esta segue o mesmo processo de avaliação entre pares descrito anteriormente.

Creditação formal do curso

  • Os iMOOC da UAb.pt podem oferecer a possibilidade dos participantes requererem, após a conclusão da sua aprendizagem, uma creditação formal, mediante o pagamento de uma quantia a determinar. Os créditos (ECTS) serão atribuídos na sequência de uma avaliação por um professor ou tutor, que incluirá os dois (ou mais) artefactos considerados para efeitos de classificação e um e-portfólio que incorpore os elementos mais relevantes do trabalho desenvolvido no curso. Poderá ainda adicionar-se a este processo um exame final, presencial, nos casos em que se considere adequado.

 

António Teixeira e José Mota

Voltar